Notícias
25/08/2017 15h08
Almoço encerra programação da Semana de Valorização da Magistratura

Para encerrar a programação da Semana de Valorização da Magistratura, em forma de homenagem, a Associação dos Magistrados do Maranhão ofereceu um almoço aos magistrados que participaram dos dois dias do curso ‘O Poder da Autorresponsabilidade’. O almoço, organizado pela Diretoria Executiva, foi realizado no Salão de Eventos da AMMA, nesta sexta-feira (25).
 
Além de juízes, estiveram presentes o presidente da Associação, Angelo Santos; os desembargadores José Joaquim Figueiredo dos Anjos; o diretor da Esmam, Paulo Sérgio Velten Pereira; Jamil Gedeon e o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, presidente da comissão gestora de precedentes do Superior Tribunal de Justiça, que, a convite da Esmam, proferiu palestra sobre a responsabilidade civil na jurisprudência do STJ, no Fórum de São Luís.
 
Durante toda a manhã, os magistrados deram continuidade ao curso, ministrado pelos coaches Anderson Marques e Daniela Maranhão, sobre os benefícios da autorresponsabilidade.
 
De acordo com a coache Daniela, foi importante apresentar uma mensagem diferenciada para os magistrados, trabalhar um lado que, muitas vezes, não tem muita atenção. “É um assunto que todo mundo precisa trabalhar, independente da questão profissional ou financeira”, contou.
 
A coache disse ainda que quem participou dos dois dias do curso pode aprender e vivenciar conceitos. “percebi o interesse real dos participantes e me surpreendi muito, pois vi que algo novo estava sendo ali apresentado. É algo que foge bastante do dia a dia de cada um deles, eles se sentiram beneficiados com o assunto abordado”, avaliou.
 
AVALIAÇÃO JUÍZES
 
O juiz Antonio Elias de Queiroga Filho elogiou a atitude inédita, onde a Associação idealizou o projeto e voltou para os magistrados. “Está sendo proveitoso, pois o curso não se dirige apenas à nossa função, mas faz uma autoavaliação em vários setores de nossa vida, eu espero que se repita nos próximos anos”.
 
Já para o juiz Jairon Ferreira de Morais, “sem dúvidas, foram dois dias de muito aprendizado e de convivência maravilhosa entre os colegas. O curso, bastante proveitoso, enriqueceu as nossas experiências e vai trazer muita positividade para o dia a dia. Aplicar, na prática, o que aprendemos vai ser uma grande ferramenta para o desenvolvimento da nossa atividade”, disse.
 
A juíza Maria José França Ribeiro também se posicionou sobre mais uma edição da Semana de Valorização da Magistratura. “A minha avaliação é positiva, a Diretoria Executiva teve a sensibilidade na hora de escolher o curso, estávamos precisando de um curso nesse sentido, para que a gente possa voltar a autoestima”.
 
Para a juíza Leoneide Barros Amorim, “foi importante para que possamos nos conhecer mais e expandir a consciência em relação a nós mesmos, que somos os principais responsáveis pela nossa vida”.
 
Segundo o juiz Milvan Gedeon Gomes, o curso foi extremamente necessário e oportuno. “Estou muito satisfeito. Que a Associação faça mais cursos desse nível, que visa valorizar os magistrados”.
 
Por fim, o juiz Júlio césar Praseres observou que quando se fala em valorização da magistratura, a primeira ideia que se deve ter é a de valorizar o magistrado e valorizar o magistrado não é dar compensação financeira, é olhar para ele como magistrado que é, olhar em seus sentimentos, em quanto ele pode ser proativo e no quanto ele pode acrescentar.
 
“O magistrado não rende, não é bem sucedido se ele não tiver em paz, se ele não tiver conectado e com todas as áreas funcionando perfeitamente bem. O curso trouxe exatamente isso, nos ensinou a ser protagonistas das nossas próprias vidas e da nossa realidade”, concluiu.
 
LANÇAMENTO
 
Na oportunidade, o juiz maranhense Francisco Soares Reis Júnior lançou o livro ‘Dez anos do Conselho Nacional de Justiça – a experiência de accountability adotada pelo CNJ nos tribunais de justiça estaduais (2005 - 2015)’.
 
Na obra, resultado da dissertação de mestrado do magistrado em Ciência Política pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), Reis Júnior faz análise documental da atuação do CNJ quanto à formulação, implantação e resultados obtidos pelos mecanismos de accountability (controle) adotados pelo órgão junto aos tribunais estaduais. O estudo também busca entender se a experiência do Conselho obteve êxito, identificando alguns limites, ameaças e desafios às ações da instituição.
 
Antes que o almoço fosse servido, os presentes tiveram os seus exemplares autografados a punho pelo próprio Francisco Júnior. 
 
As fotos dos melhores momentos da Semana de Valorização da Magistratura 2017 já estão à disposição na fanpage da AMMA no Facebook e no Flickr


Comentários:
Seja o(a) primeiro(a) a comentar este conteúdo!

Adicionar um Comentário:
CPF:  (Seu nome será incluído automaticamente no comentário)


1500 caracteres restantes


REDES SOCIAIS
Busca
Maillist
TV AMMA
COMPARTILHAR
jornal