Notícias
08/03/2017 12h59
Juízas enfrentam desafio ao se dedicarem aos processos e à prática de esporte

Mulheres, mães, magistradas. Manter uma rotina diária de processos, audiências, gestão das unidades jurisdicionais e atividades familiares e domésticas não é tarefa nada fácil. E esse desafio torna-se ainda maior quando, diariamente, essas magistradas reservam algumas horas para dedicar-se às atividades esportivas.

Desafio e superação. Essa é a mola propulsora que impulsiona três magistradas maranhenses a reservar um pouco do tempo ao esporte. Sueli Feitosa, magistrada decana, já na Comarca de São Luís, Andrea Frota, também juíza na capital, e Adriana Chaves, iniciante na Magistratura, aprovada no concurso de 2015.

As três juízas praticam as modalidades corrida, crossfit e kitesurf e já despontam como verdadeiras campeãs, não apenas pelas conquistas de medalhas quanto, também, por servir de exemplo e inspiração para outras magistradas maranhenses.

A juíza Andrea Frota pratica crossfit há 11 meses durante uma hora por dia. Ela relata que sempre gostou de praticar esportes, foi atleta de natação, mas que se encontrou no crossfit. “A atividade física é minha válvula de escape para o dia a dia estressante. Para mim, o esporte traz qualidade de vida”.

Andrea Frota diz que a sua rotina de treinos não atrapalha a atividade judicante, pelo contrário, ajuda muito, pois dá a ela mais disposição e saúde para trabalhar. “Até porque meu treino é de apenas uma hora por dia”.

A juíza conta que já participou de campeonato interno de box e está fazendo a prova do Open de Crossfit e que até agora está indo bem. Para ela, o primeiro passo para vencer os desafios que a vida apresenta é enfrentar seja lá o que for.

“Enfrento os desafios conforme me vão sendo apresentados Tento, da melhor forma, conciliar todos os papéis de mulher, mãe, magistrada, desportista. Enfim, não é uma tarefa fácil, mas se fosse, acho que nem teria graça, né?”, afirma ela.

Andrea ressalta que é movida a desafios e que nisso o crossfit ajuda muito, além de ser uma atividade altamente democrática e que todo dia lança um desafio novo. “Se tem lugar que não tem tédio, este lugar é em uma arena”.

PRAZER E DEDICAÇÃO

A juíza Adriana Chaves tem 34 anos e é titular da Comarca de Morros. Há cerca de dois anos decidiu se dedicar ao kitesurf, um tipo de esporte no mar em que o atleta se equilibra sobre pranchas e velas. Para a prática desse esporte, as condições climáticas devem ser favoráveis: sol e vento.

Adriana explica que, em São Luís, a temporada do kitesurf começa em setembro e vai até, no máximo, janeiro. Nesse período, ela pratica sempre aos sábados, domingos e feriados durante três horas diárias.
 
“Como o kitesurf é um esporte que tem muito contato com a natureza, a sensação de liberdade promove alívio no estresse produzido pela intensa rotina laboral. Ademais, a adrenalina liberada quando velejamos traz a sensação de que podemos superar nossos limites”, ressalta ela.
 
Da mesma forma que Andrea, Adriana também não tem prejuízo nas suas atividades judicantes. “Pelo contrário, além de velejar apenas nos dias em que não há expediente - e há vento - a prática me revigora e me dá ânimo para encarar os desafios da semana”.
 
Adriana afirma que nunca disputou, mas nas suas férias conseguiu completar dois downwinds, de cerca de cinco km, em São Miguel do Gostoso (RN).
 
É fácil conciliar as tarefas familiares com a Magistratura e o esporte? Adriana diz que sim. “Ainda não sou mãe, mas assim como toda mulher, consigo me dedicar a diversas atividades. Estudo com afinco os processos judiciais, programo minha agenda de audiências e me empenho para conceder a prestação jurisdicional de excelência à Comarca de Morros, mas também arranjo um tempinho, nos finais de semana, para fugir da rotina”.
 
 Adriana também deixa um conselho para as magistradas que querem praticar esporte, mas sempre acham que não têm tempo: “venham velejar. Kitesurf proporcionará a sensação de que você pode superar, cada vez mais, seus limites. A adrenalina do velejo fará com que você fique viciada e todas as vezes em que perceberem que as árvores estão balançando, vão querer ir à praia para aproveitar esse vento. Desse jeito, você vai desestressar e ter vigor para encarar a semana de processos e audiências”.  

JUÍZA E CORREDORA 

Em novembro de 2014, a juíza Sueli Feitosa participou da sua primeira corrida e gostou. Começou a dedicar-se a essa prática esportiva, que inclui treinos de uma hora por dia. Ela diz que percebeu inúmeros benefícios, dentre os quais sensação de bem-estar, saúde, relaxamento e uma considerável perda de peso.

Correr diariamente em nada atrapalha Sueli em sua atividade judicante. Ela é incentivadora de outras magistradas, a quem recomenda a prática esportiva como forma de aumentar a sensação bem-estar e mais disposição para encarar a rotina do dia a dia.

Sueli já coleciona 36 medalhas por ter cumprido todas as corridas que participou e se sente uma vitoriosa.

Àquelas que correm, nadam, dançam, praticam artes marciais, jogam do basquete ao futebol, tudo isso sem deixar de se dedicar às suas atividades de mães e magistradas, a AMMA presta sua homenagem neste Dia Internacional da Mulher.


Comentários:
Seja o(a) primeiro(a) a comentar este conteúdo!

Adicionar um Comentário:
CPF:  (Seu nome será incluído automaticamente no comentário)


1500 caracteres restantes


REDES SOCIAIS
Busca
Maillist
TV AMMA
COMPARTILHAR
jornal